Como se pega herpes? Labial e genital, veja aqui.

Basta o sistema imunológico bobear para que os agressores entrem em ação – é basicamente assim que uma das doenças sexualmente transmissíveis (DST) mais conhecidas e temidas do mundo atua. E estamos falando do herpes, probleminha muito chato e que pode afetar muito sua autoestima e vida sexual. Veja aqui como se pega herpes e aprenda a se prevenir.

Uma dúvida cruel é como se pega herpes, o que para muitos não é muito claro. Por isso, é importante que você tire todas as suas dúvidas!

  • O que é herpes,
  • Formas de contágio,
  • Sinais e sintomas,
  • Como evitar,
  • Cuidados com o herpes,
  • Tratamento,

E muito mais agora!

Herpes: entenda o que é essa DST

Como se pega herpes

Você talvez até tenha o vírus no organismo, mas ainda não tenha tido qualquer manifestação – e isso é normal, muitas pessoas nem sequer desconfiam da existência da DST em si mesmas.

O que você deve saber, em primeiro lugar é que o herpes é causada pelo vírus herpes simples ou HSV, sendo dividido em dois tipos:

  1. Tipo 1 (HSV-1) – associado ao herpes labial,
  2. Tipo 2 (HSV-2) – associado ao herpes genital.

O herpes é uma doença que não tem cura, mas existe tratamento. Depois que uma pessoa tem contato com o vírus, ela o carregará para o resto da vida, estando suscetível a sofrer com as crises em que os sintomas e sinais da doença aparecem e necessitando do médico para lhe fornecer o tratamento adequado.

Em estado de dormência, a pessoa segue uma vida normal aparentemente sem mostrar que possui qualquer problema com a doença – por outro lado, quando o sistema imunológico baixa a guarda, o vírus ataca e os sintomas reaparecem.

Como se pega herpes? Quais são os sintomas e sinais?

As possibilidades existentes de se contrair herpes são muito simples: se dá através do contato direto com uma pessoa que já possua o vírus, seja ele o tipo 1 ou o tipo 2.

Independentemente de existir lesão ativa no corpo ou não, é possível contaminar-se com a doença, pois os fluídos de uma pessoa contaminada também carregam o vírus. Isso vale para a relação sexual (oral, anal ou vaginal) sem camisinha com alguém com herpes.

Assim, você pode ser infectado através do contato com objetos, mesmo que os médicos afirmem ser incomum.

Mas todo cuidado é de grande valia, não é?

Não esquecendo, uma mulher grávida com o vírus pode passar a doença para o bebê durante o parto, principalmente se a gestante apresentar lesões.

Aliás, vale definir quais são os sinais e sintomas do herpes, não é? Então, entenda isso já! O herpes se caracteriza pela presença de pequenas vesículas agrupadas que acabam se rompendo e se transformando em feridas:

  • A aparição de aftas na região da boca ou feridas na região genital (também na região anal ou perianal, caso a pessoa faça sexo anal);
  • Sensação de queimação e formigamento nas regiões em que o herpes se manifesta;
  • Prurido (coceira) no local,
  • Febre,
  • Mal-estar geral.

A queimação e formigamento é um indicativo que antecipa quando será a próxima manifestação do herpes – é um sinal que antecede o surgimento das feridas, pois é uma forma de mostrar que o seu sistema imunológico está enfraquecido.

Após algum tempo, o herpes desaparece e pode reaparecer em outra oportunidade justamente no mesmo local com os mesmos sintomas ou sem a presença de algum (ou alguns).

Cuidados necessários para evitar o herpes

Como prevenir a herpes

Tomar cuidados com o herpes é uma via de mão dupla: de um lado está uma pessoa (que pode ser um familiar, um amigo ou um parceiro) que não está infectado e do outro está alguém próximo que convive com o vírus.

Por que é uma via de mão dupla? Porque não somente a pessoa com a doença deve tomar precauções de transmissão ou mesmo de preocupar-se com sua própria saúde. É necessário que as pessoas ao seu redor também levem a doença a sério.

Por isso, ambos os lados podem tomar atitudes simples, mas extremamente significativas! Olha só:

  • Sexo somente com o uso de preservativos,
  • Valorize a higiene: sempre lavar bem as mãos,
  • Evitar o contato direto com as feridas – tanto da pessoa infectada como os outros para com elas,
  • Não furar as bolhas que se formarão nas feridas,
  • Se o (a) parceiro (a) está com herpes, evitar o contato sexual até que o tratamento amenize os sintomas e cure as lesões.

Em algum momento da vida, 90% das pessoas terão contato com o vírus HSV-1 e isso acontece por inúmeros fatores. Mas isso não é um indicativo para pânico!

Tratamento para herpes

O tratamento para herpes acontece após um diagnóstico correto por um médico capacitado. Em geral, o herpes é tratado por meio de medicações antivirais e pomadas que amenizam os sintomas e o desconforto causado pelas lesões.

Aconselha-se que você não tome medicamentos ou aplique pomadas no local sem recomendação profissional, está bem?

O tratamento natural para o herpes é uma opção que também auxilia no tratamento, mas que também precisa ser abordado junto ao médico. Algumas alternativas naturais são:

  1. Chá de flores de calêndula,
  2. Chá de salsaparrilha,
  3. Chá preto,
  4. Extrato de própolis,
  5. Solução de amora e vinho.

Alguns alimentos ricos em ômega 3 também são bons para melhorar o sistema imunológico e garantir que as crises de herpes fiquem longe.

Uma dica é você procurar um nutricionista para que ele forneça um cardápio com alimentos que ajudem o seu organismo a lutar com o vírus, deixando as crises cada vez mais espaçadas e evitar o aparecimento daquelas dolorosas lesões!

Se dúvidas surgirem, lembre-se de procurar seu médico.


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply